“Banhos de piscina ou de mar são uma delícia, e os pequenos adoram. O problema é que o hábito aumenta os casos de otite, principalmente nos dias quentes, o que às vezes antecipa a volta para casa das férias e assusta pais de primeira viagem. Ela acomete principalmente os menores, porque eles costumam ficar longos períodos na água.

Se seu filho reclamar de dor e coceira no ouvido, e a região estiver inchada, as chances de ele ter sido acometido por uma otite são grandes. Como a umidade do ouvido aumenta, o ambiente fica vulnerável à proliferação de micro-organismos, como fungos e bactérias, levando a uma inflamação no local. Ocorre então o que chamamos de otite externa, uma das doenças infantis mais comuns no verão. Como o próprio nome diz, a doença ocorre no canal do ouvido, região mais externa do órgão.

Enfim, sempre recomendo aos pais que ouçam as reclamações dos pequenos, sem desqualificar o que sentem. Nem sempre eles têm idade suficiente para explicar o que está acontecendo, mas quando colocam a mãozinha na orelha, coçam o ouvido, choram e ficam prostrados, isso pode sinalizar algo errado, como uma otite.

As otites passam com o uso de medicação apropriada, e as crianças ficam bem e prontas para novos mergulhos. Em alguns casos, porém, a doença pode se manifestar de forma intensa. Por isso, se você notar a presença de pus e febre, leve o seu filho o mais rápido possível ao médico.

Ao contrário do que se pensa, o ideal é limpar o ouvido dos pequenos com uma fralda de pano e somente a parte externa, ao invés de usar hastes flexíveis dentro do órgão. Por que? O cerúmen, aquela cerinha que encontramos dentro da orelha, possui a função de proteger o ouvido. Por isso, não se esqueça que ela deve ser retirada somente pelo médico, se estiver incomodando, causando diminuição da audição ou para facilitar o exame do ouvido.

Para ficar longe das otites, recomenda-se limpar o ouvido da criança assim que ela sair da água, com uma fralda de pano, não se esqueça! Outra opção é usar protetores auriculares que impedem a passagem da água para o interior do ouvido. Pode se recorrer às substâncias secativas, como soluções de álcool absoluto e ácido acético. Antes, porém, converse com seu médico para encontrar a melhor solução.

Criança tem que brincar, e a água é ótima para o desenvolvimento dos nossos filhos. Por isso, ouça quando o pequeno reclamar, procure o médico, siga o tratamento indicado e depois deixe que aproveite as aventuras dentro da água, sempre com segurança.” 

COMPARTILHAR
Dr. Fausto Nakandakari
É formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e com residência médica em Otorrinolaringologia e Complementação Especializada em Bucofaringolaringologia concluídas pelo Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas de SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here