“A gestação é marcada por uma série de mudanças no organismo da mulher, e a pele não é exceção. Enquanto a maioria das gestantes percebem a cútis e os cabelos mais belos ao longo dos nove meses, algumas reclamam das espinhas que podem surgir, principalmente no primeiro trimestre da gravidez, em regiões como o rosto e o pescoço.

E elas têm razão de se queixarem. Embora mais comum na adolescência, as espinhas podem aparecer na gravidez por conta do aumento da oleosidade da pele. Imprevisíveis, elas podem acometer tanto gestantes que já sofreram com o transtorno na puberdade, como em mulheres que nunca tiveram espinhas.

Como isso acontece? São os hormônios estrógeno e progesterona, essenciais para o desenvolvimento do bebê, os responsáveis pelas mudanças. Com o aumento da oleosidade da pele, as glândulas sebáceas produzem mais sebo, levando a uma série de obstruções nos folículos pilosos. E o processo se completa com a ação das bactérias que resultam em inflamação no local, dando origem às espinhas.

Além de fatores genéticos, hereditários e hormonais, as espinhas sofrem influência da nossa alimentação. Os alimentos com alta nível glicêmico, como farinhas brancas e doces, por exemplo, alteram a produção de gordura na pele, aumentando a oleosidade. Ou seja, uma dieta equilibrada não é benéfica para a saúde da mãe e do bebê apenas, como é indispensável também para deixar a pele mais bela.

Se você está grávida e preocupada com um tratamento para contornar as indesejadas espinhas, fique calma. Converse com seu médico para saber o que pode ou não ser usado neste período, já que muitas medicações, inclusive de uso tópico, devem ser evitadas, pois apresentam riscos à condição da mulher e do bebê.

Uma limpeza de pele, o uso de sabonete adequado ao seu tipo de pele na limpeza diária da face e determinados produtos, devidamente liberados pelo médico, podem atenuar o transtorno das espinhas ao longo da gravidez, minimizando a oleosidade e promovendo uma ótima higienização.

As espinhas costumam sumir no período da amamentação, quando a produção hormonal se estabiliza. Por isso, recomendo um pouco de paciência e não esqueça: antes de recorrer a qualquer método, converse com seu médico. Cheia de descobertas e realizações, a gestação é um período único, que passa rapidinho e deve ser muito bem aproveitado pelas mulheres e suas famílias.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here