Na correria do dia, é comum esquecermos certas coisas, mas quando isso costuma ficar recorrente e atrapalhar, é importante pararmos para avaliar o que estamos fazendo de errado. Esquecer onde colocou o celular, de pagar uma conta ou de comprar o presente pro aniversário da noite é comum, quem nunca passou por isso? O problema é quando esses lapsos acabam interferindo em nosso cotidiano, no trabalho ou no relacionamento com os amigos ou mesmo com a nossa família.

Pouca gente associa, mas uma boa noite de sono pode ser a resposta para as falhas de memória. Sabemos que o sono não é apenas revigorante, mas, quando dormimos, algumas ondas cerebrais têm papel fundamental no armazenamento da memória. Por isso, valorize mais esse tempo de descanso. Tente dormir, pelo menos, de seis a oito horas por noite.

Situações de estresse também podem explicar nossos temidos lapsos. Trata-se de uma reação fisiológica do organismo, na qual o hormônio cortisol apaga a memória recente para que nos concentremos na situação impactante. É assim que explicamos o “branco” na prova, após um dia de estudos, por exemplo.

Sempre digo que a memória, assim como todo esporte, exige treinamento. O cérebro é como um computador onde estão arquivadas nossas lembranças. Para saber o caminho dessas informações, a dica é associá-las a uma trilha de dados, acontecimentos. Esta é uma tática usada por muitas pessoas que precisam memorizar uma quantidade significativa de informações. A dica é relacionar, por exemplo, uma data com um evento do qual tenha participado, um personagem histórico com um país e assim segue.

Treinar formas de associação, porém, não basta! Ainda é preciso estar sempre realimentando o cérebro com exercícios mentais, como ouvir música, ler, jogar, fazer palavras-cruzadas, desenhar, criar, estudar, entre outras ações intelectuais e até lúdicas, por que não? O segredo é viver, se relacionar, enxergar o que o mundo sempre tem a oferecer – receita infalível para manter a nossa saúde mental, física, emocional e a memória em dia.

Sempre digo que o cérebro comporta um número ilimitado de dados, portanto é importante estar sempre em busca de aprendizado para mantê-lo saudável. Esse tipo de hábito deve ser adotado desde a infância até idades mais avançadas.

Ainda devemos nos atentar para uma alimentação equilibrada. Estudos já nos mostraram que uma dieta rica em ômega 3 (peixes de água salgada e fria, como salmão, sardinha, bacalhau), vitamina B (banana, carnes – miúdos, vegetais verdes folhosos, cereais e ovos) e antioxidantes (vegetais) é fundamental para o cérebro funcionar corretamente.

E a dica final diz respeito à prática regular de atividade física. que auxilia na melhor oxigenação do cérebro, melhorando até o desempenho de suas funções.

Pode até dar trabalho conservar a memória em dia, mas o fato é que são mudanças de hábitos que podem ser divertidas e até prazerosas. Sem contar que a maioria delas também traz benefícios para a saúde do coração e para o seu bem-estar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here