Elas tiram o sono dos pais e também dos bebês. As assaduras são bem comuns e costumam ser recorrentes até os dois anos de idade. Em forma de bolinhas, vermelhidão, inchaço ou descamações no bumbum e na virilha do bebê, a assadura, ou “dermatite da fralda”, não só pode doer, como coçar, deixando os pequenos irritados. Felizmente, elas podem ser tratadas rapidamente e evitadas também.

Vou te contar o que acontece. Como o bebê costuma usar diariamente o acessório, é normal que a pele fique mais úmida, quente e sem ventilação, aumentando assim a sensibilidade da região – mais suscetível a essas lesões. Por isso, sempre digo aos pais e cuidadores para apostarem na prevenção deste problema.

A primeira dica para evitar é: troque a fralda frequentemente, evitando que a pele do bebê fique muito tempo em contato com a urina ou as fezes. Na hora da limpeza, use um algodão com água morna no local. Se a criança evacuar, o ideal é um banho rápido com um sabonete de PH neutro. Nos passeios, opte pelos práticos lenços umedecidos.

Feita a higienização, outra arma infalível contra as assaduras são os cremes específicos para o problema e de uso pediátrico. Em geral, compostos de óxido de zinco, eles protegem a pele contra substâncias irritativas, servindo como uma barreira de bloqueio. Por fim, deixe o bebê sem fraldas em alguns momentos do dia para que a região coberta possa ser arejada.

E se você ainda tiver dúvidas, procure o pediatra da criança. Irritações ou assaduras também podem sinalizar infecções por fungos, casos em que são necessários, medicamentos específicos. Essas lesões também podem indicar algum tipo de alergia. O essencial de toda essa história é que não se brinca com a saúde dos pequenos. E o velho ditado se encaixa bem aqui: melhor prevenir do que remediar!

COMPARTILHAR
Dra. Fernanda Catharino
Médica Pediatra pela Escola Médica da PUC-RJ. Hoje atua como Coordenadora Médica de um serviço de emergência particular, também faz assistência em salas de parto e possui consultório particular atendendo de recém-nascidos a adolescentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here